Você está aqui

Tribunal do Júri condena acusado de mandar matar a filha

Sentença fixou mais de 10 anos de reclusão.   O empresário Renato Garembeck Archilla foi condenado hoje (2) pelo 1º Tribunal do Júri da Capital a dez anos, dez meses e 20 dias de reclusão, em regime inicial fechado, sob a acusação de ter sido o mandante da tentativa de homicídio praticado contra sua filha, Renata Archilla. Na sentença a juíza Débora Faitarone afirmou que os jurados “reconheceram as qualificadoras do recurso que dificultou a defesa da vítima e de que o crime foi praticado mediante paga”. O delito foi…

Leia Mais

Boxeador marroquino acusado de estupro tem prisão substituída por medidas cautelares

O ministro Rogerio Schietti Cruz, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), concedeu liminar para colocar em liberdade o boxeador Hassan Saada, da delegação do Marrocos nos Jogos Rio 2016, preso desde o dia 4 de agosto sob a suspeita de cometer o crime de estupro contra duas camareiras na Vila Olímpica. A decisão do ministro impõe ao atleta uma série de medidas cautelares diversas da prisão: ele não poderá frequentar a Vila Olímpica nem se aproximar das supostas vítimas ou das testemunhas do caso, não poderá deixar o Rio de…

Leia Mais

Havan é processada por violar intimidade de empregados

O Ministério Público do Trabalho em Goiás (MPT-GO) processou a Havan Lojas de Departamentos Ltda por proibir que os empregados tenham relacionamentos amorosos entre si, mesmo fora do ambiente de trabalho, e não contratar pessoas cujos parentes já trabalhem na empresa. O valor pedido por danos morais coletivos é de R$ 1,8 milhão. A ação tramita na 2ª Vara do Trabalho de Anápolis (GO). A loja já havia sido condenada, em 1ª e 2ª instâncias, pela Justiça do Trabalho em Goiás, após a denúncia de um ex-empregado que foi demitido…

Leia Mais

Homem é condenado por constrangimento sexual de enteada

Um morador de Orlândia, interior paulista, foi condenado pela Justiça por estupro de vulnerável. O acusado, sentenciado por promover constrangimento sexual contra a enteada, cumprirá pena de 16 anos e 4 meses de reclusão, em regime fechado, e não poderá recorrer em liberdade. A vítima era menor no período de cinco anos em que sofreu abusos, encerrado em abril de 2002. A menor relatou em juízo que era acariciada de forma libidinosa pelo padrasto e que sofria ameaças de morte dele. O réu, em defesa, alegou que a acusação era…

Leia Mais

Justiça concede liberdade provisória a dois ativistas no Rio

A 38ª Vara Criminal do Rio de Janeiro concedeu liberdade provisória para o estudante de educação física Igor Pereira D’Icarahy e para a professora universitária Camila Aparecida Jourdan, que estavam com a prisão preventiva decretada desde a última sexta-feira (18). No entanto, a medida não tem efeito imediato, pois os dois continuam com a prisão preventiva decretada por “associação criminosa”.

Leia Mais